was successfully added to your cart.
Category

Beleza e Paz

Caminho do Vale

By | Beleza e Paz, Piatã, Uncategorized | No Comments

Existem momentos na vida em que precisamos parar para buscar uma visão dos nossos proximos passos. São para momentos como estes que existe um lugar como o Caminho do Vale em Piatã.

Com uma vista incrível de mais de 80km de paisagem até as longínquas montanhas azuis, o lugar é ideal para expandir a nossa visão. Com um clima quase europeu, essa região possui mínimas no inverno de +3 graus, possibilitando até o cultivo de frutas de clima temperado como pessego e maçã.

Na nossa vila foi construido o  Núcleo de Vivências Cúpula Dourada (Templo do ISA)  para ancorar os conhecimentos da Psicologia e Filosofia Existenciais, ensinados pelos sábios do passado, e partilhar com todos que desejarem saber mais sobre esses conhecimentos, através de palestras, mini cursos, vivências de autoconhecimento, meditação, prática dos Atributos da Estrela etc.

Para reservas caminhodovale2016@gmail.com / 77 9 9165 5846 (Ana)

[envira-gallery id="1650"]

Vale do Capão

By | Atrações Principais, Beleza e Paz, Uncategorized, Vale do Capão | No Comments

Localizado no município de Palmeiras, a 445km de Salvador, o Vale do Capão resguarda paisagens deslumbrantes. O cenário é basicamente composto por grandes cachoeiras, áreas de Mata Atlântica, montanhas de até 1.500 metros, dentre outras preciosidades naturais. Não é à toa que o lugar detém famosíssimos paraísos ecológicos, como o Gerais do Vieira, o Rio Preto, o imonente Morrão e o abismo onde caem as águas da Cachoeira da Fumaça – a mais alta do Brasil.

O clima tropical, com temperatura média anual variando entre 22° e 24°C, favorece todos os tipos de passeios. Um dos mais cogitados entre os visitantes é o ecoturismo, garantido pelas belezas que acompanham as famosas caminhadas. Elas podem ser feitas por trilhas mais longas, como a que segue do Vale até Lençóis, ou as mais curtas, a exemplo das que ligam pontos turísticos e algumas comunidades. A diferença do Capão para os outros locais da Chapada está no conceito que foi desenvolvido há mais de 20 anos. O lugarejo já teve o garimpo como sua principal atividade, assim como o restante da Chapada. Os garimpeiros se aventuravam pelas serras, riachos, rios e tocas à procura de diamantes. Com a chegada dos alternativos, ainda embalados pelo sonho dos anos 70, a vida no Capão mudou completamente.

Ao contrário dos garimpeiros, que buscavam a concentração de riquezas, as comunidades alternativas não queriam extrair nada do lugar, e sim somar. Um grupo de oito pessoas resolveu fundar uma comunidade, chamada de Lothlorien – palavra que, em celta, quer dizer “sonho dourado”. Neste projeto destaca-se a figura do médico naturalista Áureo Augusto, que, depois de curar-se de uma doença através do naturismo, resolveu criar uma clínica voltada para a cura através de técnicas alternativas.

 

Como Chegar:

Ônibos:
O primeiro passo pra quem quer chegar no Vale do Capão vindo de ônibos é chegar em Palmeiras (44 km de Lençóis). A empresa Real Expresso faz o percurso Salvador-Seabra, passando por Palmeiras 3 vezes por dia. Para comprar on-line acesse o site da empresa: www.realexpresso.com.br

 

>> Onde ficar no Vale do Capão

 

Fonte: Bahia.com.br

Chapada Diamantina, um roteiro imperdível

By | Beleza e Paz, Turismo, Uncategorized | No Comments

Situada no coração da Bahia, a Chapada Diamantina compreende uma das mais belas paisagens de eco-sistema de montanha, apresentando elevações razoáveis e clima ameno durante quase todo ano, esfriando apenas nas noites de inverno.

Nesta vastidão verde de serras e vales correm rios cristalinos, caem cascatas e cachoeiras e grandes espelhos d´agua refletem um céu azul profundo. A Chapada é como um oásis no meio do sertão.

 

Conhecer essa região e todos os seus atrativos requer, além de tempo, um verdadeiro espírito de aventura; para andar em trilhas, escalar morros, atravessar matas e alcançar locais incomparáveis, cuja beleza só pode ser descrita com os próprios olhos.

 

Ecos do Passado

A serra do Espinhaço, que corta o Brasil central, de Minas Gerais a Bahia, apresenta em sua porção norte uma paisagem grandiosa, com chapadões, vales, cavernas e formações rochosas peculiares. É a Serra do Sincorá, de onde se descortina a Chapada Diamantina.

Trata-se de um terreno de origem geológica muito antiga, primeiramente trabalhado pelo mar e, quando as águas foram expulsas, pelo vento. Acredita-se que os principais monumentos naturais da região, o Morro do Pai Inácio, o Morrão e o Morro do Camelo, são originários do Proterozóico Médio, entre 1 e 1,7 bilhões de anos atrás.

Os primeiros bandeirantes chegaram na Chapada em busca do ouro, no início do século XVIII. No início do século XIX já se sabia que havia diamantes ali, mas a notícia foi mantida em segredo pelas autoridades. Em 1844, porém, com a descoberta de diamantes em Mucugê, milhares de exploradores vieram a região, dando origem a povoados que se transformaram em cidades: Mucugê, Rio de Contas, Barra da Estiva, Xique Xique de Igatu, Andaraí, Palmeiras e Lençóis. Essa última chegou a ser a segunda maior cidade da Bahia.

O passado de mineração de diamante levou a alterações de leitos de rios, assoreamentos e desmatamentos na região. Hoje, quando subsistem apenas alguns poucos mineradores artesanais, essa ameaça não exites mais. O Perigo maior está nas frequentes queimadas, que afetam a Chapada na estiagem.

 

 

Chapada Diamantina é indicada como uma das 20 maravilhas do mundo

By | Beleza e Paz, news, Turismo, Uncategorized | No Comments

 

A Chapada Diamantina, na Bahia, foi indicada pelo Portal Terra como uma das 20 grandes maravilhas da natureza em todo o mundo. A galeria, que compõe a página Vida e Estilo, elenca, além da Chapada, outras quatro localidades brasileiras: Fernando de Noronha (PE); Lençóis Maranhenses (MA); Cataratas do Iguaçu (entre Brasil e Argentina); e o Monte Roraima, localizado entre Brasil e Venezuela. Entre os mais bonitos ambientes naturais do mundo, o portal também cita o Monte Fuji (Japão), os Lagos de Plitvice (Croácia) e as Torres el Paine (Chile).

O Parque Nacional da Chapada Diamantina, localizado no coração da Bahia, foi destacado pelo Terra como “um excelente destino turístico para praticar trekking em meio a visuais impressionantes e para praticar esportes radicais como rafting e rapel”.

Além das belezas, que encantam visitantes vindos de todos os cantos do mundo, a exemplo da Cachoeira da Fumada, Poço Azul e Gruta da Pratinha, a Chapada Diamantina também reserva uma cultura peculiar e uma rica história, com destaque para o ciclo diamantífero que transformou a região nem um verdadeiro garimpo a céu aberto.

Voo deixa região a 55 minutos de Salvador

A região da Chapada Diamantina engloba 40 municípios turísticos, a uma distância de mais de 400 quilômetros, que podem ser percorridos de carro ou de ônibus. Para ter acesso facilitado, o turista pode partir de Salvador em um dos voos oferecidos pela Trip Linhas Aéreas, com saídas da capital baiana às quintas-feiras. O trecho de volta sempre é oferecido aos domingos. O tempo de voo entre os aeroportos de Salvador e de Lençóis é de aproximadamente 55 minutos.

Os amantes da natureza encontram na Chapada Diamantina opções de lazer durante todo o ano. Do verão ao inverno, os visitantes podem fazer desde programas leves – pequenas trilhas como a do Projeto Sempre Viva, no município de Mucugê, e visitas às vilas como a do Vale do Capão, no município de Palmeiras, e Igatu, em Andaraí – até atividades mais radicais, mais as trilhas da Cachoeira da Fumaça e do Vale do Pati, em que é preciso acampar e dormir em meio à natureza.

A temperatura na Chapada Diamantina é quase sempre alta durante o dia e aconselha-se que o visitante use roupas leves e claras. Já à noite, o friozinho faz com que todos se agasalhem. Durante o inverno, quando a temperatura cai bastante durante a noite, alguns hotéis e restaurantes servem fondue, acompanhado por bons vinhos, para quebrar o frio. A temperatura média durante a noite é de 15 a 18 graus.

Para quem gosta de música, boas pedidas são os festivais de Lençóis e de Jazz do Capão (Palmeiras). Durante os dias de festa, os visitantes costumam aproveitar para curtir as atrações ecoturísticas, mas a noite é de muito agito ao som de músicos brasileiros e estrangeiros. Já passaram pelos festivais nomes como Lenine, Sandra de Sá, Gilberto Gil, Naná Vasconcelos e a Orkestra Rumpilezz.

Expedição Preguiça Gigante

By | Beleza e Paz, TV Chapada, Uncategorized | No Comments

Este documentário, de 52 minutos, acompanhará uma expedição formada por paleontólogos, geólogos e espeleo-mergulhadores ao Sítio Paleontológico Poço Azul do Milú, na Chapada Diamantina, para documentar pela primeira vez a pesquisa, coleta, réplica e montagem de ao menos um espécime fóssil completo de preguiça gigante, o Eremotherium Laurillardi.

Também será abordado o interessante contraponto entre ciência e folclore existente na Selva Amazônica sobre uma destas espécies, conhecida pelos índios com o nome de Mapinguari – para eles, uma espécie de monstro da selva, cujo nome é proibido ser mencionado – que supostamente não foi extinta e freqüentemente é vista por eles e por seringueiros, gerando diversas lendas e mitos que influenciam o dia a dia desta população.

Pré-história from Grifa Filmes on Vimeo.

O Brasil da Pré-História – Expedição Preguiça Gigante (2007), 52 minutos, HDTV.
Direção: Túlio Schargel e Maurício Dias
Exibição: CBC (Canada), RAI (Itália), ARTE (França/Alemanha), SBS (Australia), TSR (Suíça), RTBF (Bélgica), Planète Cable, L’Office de la Telecom Educative de L’Ontário, National Geographic Brasil
Co-produção: Gedeon e Arte